Prepare-se para viver em um mundo sem senhas

Mastercard cria serviço global de identidade digital que pode tornar a vida online mais eficiente e segura.
Nos últimos anos, as interações digitais evoluíram tão rápido que desafiaram as regras de identidade e segurança. Ao mesmo tempo em que as pessoas priorizam o digital, pela conveniência, elas são obrigadas a gerenciar centenas de logins e senhas, frequentemente esquecidas e trocadas, e ainda fazer malabarismos para manter os dados seguros. Isso quebra expectativas e gera frustração. Agora imagine ter uma identidade digital única, para ser usada de forma fácil e segura nos acessos online, nas interações digitais com bancos, lojas, governos, e ainda no mundo físico, como em aeroportos.
Mastercard ID vai permitir uma autenticação rápida e segura nos serviços online, sem o uso de diversas senhas. Isso gera mais controle, privacidade e transparência para o usuário, ao mesmo tempo que possibilita às empresas, instituições financeiras e governos oferecer serviços com menos atrito e mais proteção.
“Estamos trabalhando para que a identidade de uma pessoa e os dispositivos que operam em seu nome sejam verificados imediatamente e com a máxima segurança, para que o acesso se dê sem o uso de diversas senhas e os dados sejam usados e trocados apenas com o consentimento do usuário ”, afirma Leonardo Linares, vice-presidente de Data & Services da Mastercard Brasil.
O Mastercard ID possibilita que interações digitais ocorram com uma troca mínima de dados, sempre com o usuário no controle. Isso vai facilitar a relação das pessoas e das empresas, além de reduzir o risco de fraudes e roubos de identidade, porque os dados pessoais do usuário ficam armazenados em seu dispositivo móvel, de forma criptografada, e com outras formas seguras de verificação da identidade. Isso elimina a necessidade de um banco de dados centralizado, que poderia estar sujeito a invasões de hackers. O ID usa ainda biometria facial para se certificar da autenticidade do usuário que está usando aquele celular.
O ID pode incluir dados como nome, data de aniversário, endereço, números de documentos, certificações e dados biométricos, como impressão digital, facial e voz. O usuário decide a informação que quer armazenar e compartilhar. O compartilhamento excessivo de dados, sem transparência, seria então substituído por uma forma controlada pelo proprietário dos dados.
A solução da Mastercard funcionará tanto no mundo digital quanto no físico. Mas o desenho de uma identidade digital global requer um esforço coletivo. A Mastercard está atuando para estabelecer uma série de parcerias com empresas de tecnologia e outros players para definir as regras e a governança do serviço. “Juntos temos uma oportunidade real de transformar o engajamento digital, para que seja cada vez mais fácil e conveniente, sem comprometer a segurança”, afirma Linares.
Mastercard entende que o usuário deve ser o proprietário e ter pleno controle de sua identidade digital e, por isso, estabeleceu uma série de princípios para o Mastercard ID. O serviço deve oferecer inclusão (segundo a ONU, 1 bilhão de pessoas no mundo não têm um documento de identidade), simplicidade de uso, confidencialidade, consentimento para o uso dos dados, além de transparência e altos padrões de segurança.